Ir para o conteúdo

Prefeitura de Macatuba - SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Macatuba - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Rede Social YouTube
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
OUT
25
25 OUT 2021
Demolição controlada no CAIC em Macatuba deve começar nos próximos dias
Prefeitura deu a ordem de serviço na sexta-feira; paralelamente às obras, serão construídas 12 salas de aula no mesmo complexo
A Prefeitura de Macatuba emitiu nesta sexta-feira (22) a ordem de serviço para a demolição controlada de seis salas de aula no segundo andar do bloco 1 da Escola Municipal CAIC Cristo Rei, principal prédio do complexo CAIC Trajano Maciel Filho e onde estudam cerca de 700 crianças dos ensinos Infantil e Fundamental 1. O imóvel foi interditado pela Defesa Civil do Estado no começo deste ano por conta de problemas estruturais (confira mais informações abaixo).
A empresa S.O.S. Demolidora e Terraplanagem LTDA EPP, vencedora da licitação realizada pela Prefeitura de Macatuba, deve começar as obras na próxima semana. O valor do contrato é de R$ R$ 171.931,70 e o edital da licitação prevê a conclusão do serviço em 60 dias. “Como forma de garantir a segurança dos alunos que utilizam os outros prédios do complexo, vamos seguir com as aulas presenciais até o dia 28 de outubro. A partir do dia 3 de novembro, as atividades serão realizadas de maneira remota, da mesma maneira que fizemos durante a pandemia. Temos consciência de que o ensino presencial é bem mais proveitoso, porém, neste momento, temos que colocar a saúde da comunidade escolar em primeiro lugar. Mesmo assim, todos nós vamos dar o nosso máximo para que a perda educacional seja minimizada ao máximo”, garante o secretário de Educação e Juventude de Macatuba, Adriano Queiroz.
A segunda etapa das obras no bloco 1, que é a construção da cobertura na área abaixo da demolida, também já está em andamento. Nos próximos dias, haverá a abertura dos envelopes da licitação para posterior contratação da empresa responsável pelo serviço. A previsão é de que o prédio seja totalmente liberado para aulas presenciais em fevereiro de 2022. “Nosso setor de engenharia e zeladoria também está trabalhando para deixar todo o complexo pronto para receber os alunos, com pintura, pequenos reparos e também paisagismo do local”, revela Queiroz.
A fim de compensar a demolição controlada das seis salas de aula, a Prefeitura de Macatuba já deu início ao processo licitatório para contratação de empresa responsável pela construção de 12 salas de aula no mesmo complexo CAIC Trajano Maciel Filho. “Essa construção deve ocorrer até o final do mês de março, quando finalmente vamos entregar à população o complexo do CAIC que a população merece. Aproveito para agradecer a comunidade escolar pelo apoio e paciência, em especial aos pais, os quais mantém contato frequente conosco. Desde o começo do ano, assumimos esse desafio e não tem sido fácil. Mas cada palavra de agradecimento, cada incentivo vindo dos pais e até dos alunos mostra que estamos no caminho certo”, completa o secretário de Educação e Juventude de Macatuba.
 
 Defesa Civil interditou a escola em janeiro deste ano
A Defesa Civil do Estado de São Paulo, regional Bauru, decidiu pela interdição temporária da Escola Municipal CAIC Cristo Rei após visita realizada no dia 27 de janeiro, quando os técnicos tomaram a decisão diante das condições do imóvel, que desde 2019 vem sofrendo com problemas estruturais. Em seguida, na visita seguinte, a interdição foi mantida.
Um estaqueamento na estrutura foi feito em abril de 2020, porém, novas situações que poderiam comprometer o imóvel começaram a ser observadas, entre elas vazamentos nos banheiros, vazamentos nas canaletas, a dilatação das paredes e abertura nas vigas de sustentação do corredor central.
Já no começo de 2021, durante reforma para tentar resolver algumas destas questões, o chão cedeu em um ponto de vazamento, também no corredor central, causando mais preocupação. Foi quando a Prefeitura decidiu acionar a Defesa Civil do Estado de São Paulo, que de pronto decidiu pela interdição.
 
Seta
Versão do Sistema: 3.1.7 - 02/12/2021
Copyright Instar - 2006-2021. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia