No mês da Independência, descendente de Dom Pedro I visita Macatuba

 

Dom Bertrand, príncipe imperial do Brasil, dá palestra sobre ética e patriotismo para estudantes de Macatuba nesta quarta

 

No mês em que se comemora a Independência do Brasil da coroa portuguesa, um descendente direto de Dom Pedro I (proclamador da independência) visita Macatuba. Dom Bertrand de Orleans e Bragança, príncipe imperial do Brasil, visita Macatuba e profere a palestra “Ética e Patriotismo” para estudantes da rede municipal nesta quarta-feira, dia 17 de setembro. O encontro entre o descendente da família real brasileira e os estudantes macatubenses será no Teatro Municipal, a partir das 15h30.

Dom Bertrand de Orleans e Bragança é o terceiro dos doze filhos do príncipe Dom Pedro Henrique de Orleans e Bragança (1909-1981), chefe da Casa Imperial do Brasil até seu falecimento. Ele é neto de Dom Luiz de Orleans e Bragança (1878-1921), o Príncipe Perfeito, bisneto da Princesa Isabel, a Redentora, e trineto do Imperador Dom Pedro II, o último monarca dos brasileiros.

Os Imperadores do Brasil, bem como os reis de Portugal desde o século XVII, pertenceram à dinastia de Bragança, a qual teve sua origem em fins do século XIV, na figura heróica e legendária do Santo Condestável de Portugal, D. Nun'Alvares Pereira, elevado à glória dos altares pelo Santo Padre Bento XVI em 2009.

Por sua mãe, a princesa Dona Maria da Baviera de Orleans e Bragança, recentemente falecida, D. Bertrand herdou as tradições da Família de Wittelsbach, a Casa Real da Baviera, uma das mais antigas da Europa, remontando ao século IX.

Por seu bisavô, o príncipe Gastão de Orleans, Conde d'Eu, esposo da princesa Isabel e herói da Guerra do Paraguai, Dom Bertrand descende da Casa Real Francesa, provindo em linha direta de Hugo Capeto e de São Luís IX, o Rei-Cruzado.

Nascido em 1941, em Mandelieu, no sul da França, onde o exílio da Família Imperial e a II Grande Guerra retiveram seus pais, D. Bertrand veio para o Brasil logo após o término do conflito. Realizou seus estudos secundários em parte no Norte do Paraná, onde seu pai se instalara como fazendeiro, em parte no Colégio Santo Inácio, dos padres jesuítas, no Rio de Janeiro. Cursou depois a tradicional Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, de São Paulo, formando-se como advogado em 1964.

Desde muito jovem recebeu esmerada formação católica, sendo orientado por seu pai para o gosto pelo estudo doutrinário e a análise dos acontecimentos nacionais e internacionais. Participou com entusiasmo, nos bancos acadêmicos, das pugnas ideológicas que marcaram o Brasil na primeira metade dos anos 60. Foi sua formação completada com frequentes viagens à Europa, uma das quais deu-se durante toda a primeira Sessão do Concílio Vaticano II, quando o jovem príncipe tomou estreito contato com a intelectualidade católica acorrida a Roma para o magno evento.

D. Bertrand vem dedicando sua existência à difusão dos ideais católicos e monárquicos, vistos por ele como facetas distintas e harmônicas de um mesmo ideal. Tornou-se conferencista sempre mais solicitado, impressionando os auditórios não menos pela clareza da exposição que pelo forte efeito de sua personalidade, marcada a fundo pelos princípios que professa.

Com a ascensão, em 1981, de seu irmão primogênito D. Luiz à Chefia da Casa Imperial do Brasil, D. Bertrand, que é seu imediato sucessor dinástico, assumiu a direção do Secretariado respectivo, incentivando a atividade dos monarquistas disseminados pelo País e liderando uma campanha nacional para a eliminação da Cláusula Pétrea — dispositivo legal que desde a implantação da República vedava toda atividade e propaganda monárquica — aspiração finalmente acolhida na nova Constituição, promulgada em 1988.

No tocante a temas em debate no mundo de hoje, D. Bertrand se posiciona claramente no campo da propriedade privada, livre iniciativa e respeito ao princípio de subsidiariedade, o qual circunscreve o Estado ao âmbito que lhe toca por sua natureza. Tendo bem claro que os problemas sociais não são senão reflexo de outros mais profundos, de ordem moral, tem sido um constante defensor da instituição da família, bem como do sagrado direito da vida, sustentando com vigor os ensinamentos da doutrina tradicional da Igreja nessas matérias e opondo-se categoricamente às tendências hedonistas e aos fatores de desagregação hoje tão favorecidos pelos meios de comunicação, notadamente a propaganda do aborto e do homossexualismo.

Atento a tudo quanto respeita à soberania nacional, D. Bertrand vem alertando para as influências e iniciativas que afetam, de modo encoberto ou não, nossos direitos sobre a Amazônia. Pela mesma razão, o Príncipe Imperial, ante campanhas de descrédito que visam as forças armadas, julga imperioso prestigiar o militar e o policial cumpridores do dever.

D. Bertrand é Coordenador Nacional e porta-voz do Movimento Paz no Campo. Percorre o território nacional realizando conferências e tomando contato com lideranças rurais, sendo colaborador da coluna "Tendências e Debates" do jornal Folha de S. Paulo. É autor, com colaboração de especialistas, do livro "Psicose Ambientalista ¾os bastidores do ecoterrorismo para implantar uma 'religião' ecológica, igualitária e anticristã", que já teve 15 lançamentos em capitais e importantes cidades do Brasil, com a marca de 18 mil exemplares vendidos e ampla repercussão na mídia.

O Príncipe Imperial viaja com frequência ao Exterior, sendo muito solicitado para eventos promovidos por correntes conservadoras tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, bem como na América Hispânica, aproveitando essas ocasiões para divulgar o Brasil real, por oposição aos distorcidos estereótipos que sobre ele circulam. 

Afeito desde a infância ao campo e ao ar livre, D. Bertrand sempre encontrou tempo para a prática esportiva: equitação, caça, pesca submarina, esqui, tiro, montanhismo, foram atividades que em diferentes épocas o atraíram. Piloto civil, é reservista da Força Aérea Brasileira.

Além do português, sua língua natal, D. Bertrand é fluente no francês e no espanhol, buscando presentemente aprimorar seu domínio do idioma inglês.

D. Bertrand é Bailio Grã-Cruz da Ordem da Rosa, Grã-Cruz da Ordem de Pedro I e demais Ordens Imperiais do Brasil, Bailio Grã-Cruz da Ordem Constantiniana de São Jorge, da Casa Real de Bourbon Sicílias e Bailio Grã-Cruz da Soberana Ordem de Malta.

 

SISAM - COMUNICADO À POPULAÇÃO

SISAM INFORMA INTERRUPÇÃO PROGRAMADA NO FORNECIMENTO DE ÁGUA PARA OBRAS NO DIA 17 DE SETEMBRO DE 2014.

 

Dando continuidade à instalação dos macromedidores na rede de abastecimento de água de Macatuba, informamos que será necessária a interrupção do fornecimento de água nesta quarta feira, dia 17 de setembro de 2014, no período das 10h às 18h, na área dos seguintes bairros:

 

- Centro

- Jardim Bela Vista (I e II)

- Jardim Veneza (I e II)

- Vale Verde

- Distrito Industrial

- Panorama

 

Em todas as outras etapas da instalação dos macromedidores, a equipe técnica concluiu a operação com sucesso e o fornecimento de água foi normalizado muito antes do previsto. Nesta etapa, no entanto, a equipe prevê a necessidade de tempo maior para execução dos trabalhos devido às características da rede e dos equipamentos a serem instalados. Portanto, o SISAM orienta à população que tome medidas preventivas em suas residências para evitar maiores transtornos.

Outra orientação é que, excepcionalmente nesta região, pode ocorrer intermitência no fornecimento de água após o religamento do sistema porque o reabastecimento se dá de forma gradativa.

Por essa razão, existe a possibilidade de, em alguns pontos dos bairros mencionados, o reabastecimento ocorrer de forma irregular devido à demanda reprimida e ao tempo necessário para normalizar toda a rede de distribuição. Nesses pontos, pode ocorrer baixa pressão da água ou até eventual desabastecimento. Esta área inclui as ruas Carlos Gomes, Nove de Julho, João Fernando de Almeida Prado e Paraíba. O sistema deve estar totalmente normalizado em até 48h após a finalização dos serviços.

O SISAM agradece a colaboração e a compreensão da população e informa que a instalação dos macromedidores é necessária para oferecer um sistema mais moderno e confiável de abastecimento de água.

 

Atenciosamente,

 

 

 

 

Antonio Carlos Perucci Junior

Responsável pelo SISAM

SP-261 recebe placas no trevo de Macatuba

Mais uma etapa da sinalização do trecho urbano da rodovia Osni Matheus (SP-261) foi realizada nesta sexta-feira, dia 12 de setembro. Na manhã desta sexta-feira, equipes do DER (Departamento Estadual de Estradas de Rodagem) instalavam placas grandes indicando acessos a Macatuba e a outras rodovias e cidades na região. Vale lembrar que as medidas adotadas pelo órgão estadual atendem a solicitação do prefeito Tarcisio Abel, para propiciar melhores condições de tráfego no trecho urbano da rodovia e mais segurança à população.

 

SP-261 recebe placas no trevo de Macatuba

Sábado tem batizado de capoeiristas

Acontece neste sábado, dia 13 de setembro, o segundo batizado e troca de cordões dos alunos do grupo Academia de Capoeira Aliança com Cristo (foto). A cerimônia está marcada para as 13h, no Teatro Municipal de Macatuba (avenida Coronel Virgílio Rocha, 5-25). Os organizadores informam que a entrada para o público é franca. “A presença das pessoas ao evento será um grande estímulo às crianças e aos jovens dos bairros dos Altos da Cidade, que são atendidos por nossos voluntários”, convidam os organizadores.

Outra novidade sobre a Academia de Capoeira Aliança com Cristo é que os alunos que participam do projeto receberam, no dia 6 de setembro, os uniformes para as apresentações públicas. O projeto da capoeira é executado no prédio Mário Rosa (Projeto Transformação) . São 50 camisetas e 50 calças devidamente estampadas. Foram investidos cerca de R$ 1,9 mil para a confecção dos uniformes, recurso da Secretaria de Assistência Social. “É uma ação realizada através do Serviço de Fortalecimento de Vínculos, com apoio da Prefeitura Municipal. Esses uniformes serão usados para as apresentações dos capoeiristas, inclusive no batizado que acontece neste sábado”, informou o secretário da pasta, Marcos Olivatto.

Tarcisio cobra transparência no Hospital de Macatuba

Se os diretores do Hospital querem dinheiro da população de Macatuba para pagar contas da entidade, precisam mostrar à população para onde esse dinheiro está sendo destinado, disse Tarcisio

 

O prefeito Tarcisio Abel pediu oficialmente para a Irmandade Santa Casa de Macatuba revelar as informações contábeis da entidade. O documento assinado pelo prefeito foi entregue nesta quarta-feira, dia 10 de setembro, ao administrador da entidade, Anderson Mateus, e ao provedor José Domingues Maciel Neto, com prazo de cinco dias para ser respondido.

A medida do prefeito de Macatuba pretende, através da análise dos números e da contabilidade do Hospital de Macatuba, ajudar a encontrar a saída para a crise financeira alegada pelos administradores. Até o momento, após reuniões reservadas e abertas ao público realizadas entre a diretoria do Hospital, a Câmara dos Vereadores e a Prefeitura, não se chegou a um consenso. “Por várias vezes, pedi transparência nos números da entidade. Se os diretores do Hospital querem dinheiro público, dinheiro da população de Macatuba, para pagar contas da entidade, precisam mostrar à população para onde esse dinheiro está sendo destinado. Isso já foi pedido em outras oportunidades, mas até agora não foi apresentado qualquer balancete detalhado da real situação da entidade”, afirmou o prefeito.

Segundo exposição dos diretores da Santa Casa de Macatuba aos vereadores, a entidade teria um déficit mensal de R$ 50 mil em suas contas, o que totalizaria R$ 600 mil no decorrer do ano. “Se há déficit nas contas do Hospital, não é a Prefeitura que está causando o problema. Temos um contrato assinado com a direção do Hospital para prestação de serviço de urgência e emergência (pronto-socorro) que prevê o repasse de R$ 170 mil por mês pelo período de janeiro a dezembro de 2014. Estamos repassando o valor religiosamente, sem falhar um mês. Aliás, a pedido do Hospital, já até antecipamos a transferência da última parcela”, disse o prefeito.

Além desse valor, a Prefeitura de Macatuba repassa mais R$ 82 mil por mês ao Hospital, dinheiro que vem da Secretaria Estadual de Saúde para pagar procedimentos ambulatoriais (consultas e exames) e internações e cirurgias. “A Prefeitura não segura dinheiro do Hospital. Os repasses são transferidos para a entidade tão logo são disponibilizados”, informa o prefeito.

No documento enviado aos diretores do Hospital, o prefeito Tarcisio pede a prestação de contas dos R$ 252 mil enviados mensalmente à entidade desde o começo deste ano e outras informações financeiras da entidade (como número de funcionários, funções e salários pagos, a lista de credores e os respectivos valores das dívidas com fornecedores e instituições bancárias, somatório das receitas próprias e despesas geradas pela entidade, entre outros dados contábeis). “Os diretores do Hospital têm reivindicado repasse de mais dinheiro público, alegando a existência de uma dívida de custeio enorme e ameaçando não renovar o contrato com a Prefeitura para atendimento no pronto-socorro. Nós estamos fazendo a nossa parte e nos colocando para ajudar a resolver o problema. Mas é bom lembrar: não é a Prefeitura que administra o Hospital, são seus próprios diretores. Qualquer decisão importante na Santa Casa é tomada pelos diretores, não pelo prefeito”, reforçou.

Sobre a possibilidade de ajudar o Hospital de Macatuba, o prefeito Tarcisio se disse disposto a somar forças. “Na verdade, já estamos ajudando o Hospital há muito tempo. Há várias emendas parlamentares liberadas para o nosso Hospital, que conseguimos junto a deputados que ajudam Macatuba. Duas emendas são para compra de equipamentos: R$ 200 mil através do deputado Arnaldo Jardim e R$ 300 mil através do deputado federal Paulo Maluf. Mais duas emendas são para custeio: R$ 60 mil através do deputado estadual Salim Curiati e R$ 250 mil através da Secretaria Estadual de Saúde, resultado do contato que fizemos diretamente no gabinete do governador Geraldo Alckmin, onde estivemos com o subsecretário da Casa Civil, doutor Rubens Cury, juntamente com parte da diretoria do Hospital. Mas esse dinheiro só entra na conta do Hospital se a diretoria da entidade preencher toda a documentação e condições exigidas pelos governos federal e estadual. É um trabalho que os administradores do Hospital têm que fazer para não perder essa quantia em dinheiro”, explicou o prefeito.

Outras iniciativas com participação da Prefeitura foram apoio para a campanha de doação voluntária da população através da conta de água e o ingresso solidário durante a Festa do Peão de Macatuba. “A campanha do ingresso solidário não aconteceu porque os diretores do Hospital não se mobilizaram. A Festa do Peão já acabou e já não há o que se possa fazer a esse respeito. Mas a campanha de doação voluntária pela conta de água ainda pode acontecer. Só depende de os diretores assinarem os documentos que enviamos à administração do Hospital há mais de um mês e até agora não foram assinados. Se a situação da entidade é realmente crítica, não se pode perder tempo e nem oportunidade de arrecadar fundos. É preciso ter iniciativa”, avaliou Tarcisio.

Com relação a repasse extra de dinheiro da Prefeitura para o Hospital, Tarcisio lembrou que a administração também enfrenta queda abrupta da receita municipal de R$ 7 milhões nos últimos dois anos. “Se quero ajudar? Estou totalmente à disposição, porque não quero que o Hospital ou o pronto-socorro feche as portas. Mas estamos contando as moedas, fazendo economia severa para compensar a perda de receita e pagar as despesas sem comprometer os serviços básicos que a Prefeitura tem que prestar à população. O dinheiro que entra na Prefeitura é da população e nós temos que prestar contas de onde cada centavo é investido. Para repassar mais dinheiro para o Hospital, nós temos que saber onde esse dinheiro será gasto pela diretoria da Santa Casa. É uma questão de responsabilidade legal e fiscal. Não é capricho do prefeito, porque nós temos que fazer tudo conforme manda a lei”, finalizou.

 

 

Estudante de Macatuba se classifica para Olimpíada de Língua Portuguesa

O poema “Minha pequena cidade”, escrito pelo estudante João Manoel Miranda – aluno do 5º Ano D da escola municipal Odila Galli Lista - foi selecionado para participar da etapa estadual da 4ª Olimpíada de Língua Portuguesa. Com apoio dos professores e das escolas municipais, alunos da rede local foram estimulados a participar de concurso nacional Olimpíada Brasileira de Língua Portuguesa. A Comissão Julgadora Municipal selecionou a obra do estudante João Manoel Miranda para representar o município na competição de conhecimento da nossa língua.

O concurso nacional tem quatro modalidades, de acordo com a faixa etária dos participantes. Na fase preparativa para a competição, os estudantes estudaram em sala de aula. Depois, produziram poemas, memórias, crônicas e artigos de opinião para se inscreverem na Olimpíada.

Aluno da professora Patrícia Aline Barbosa, João Manoel escreveu o seguinte poema:

 

Minha pequena cidade

 

Lugar pequeno

Cheio de encanto

Onde vivo no meu canto

Sentindo sereno

Da noite estrelada,

Terra abençoada!

 

De manhã vejo

A moradora faceira

Passeando entre as palmeiras

Da avenida principal.

Isso me faz lembrar

Da natureza local.

 

Sol ardente,

Povo trabalhador,

Povo sofredor

Plantando a semente

Da esperança

De iluminar nossa mente.

 

Nossa cidade é bela

Igual a primavera

Apesar de ser pequena

Somos honestos para

Cumprir nossas promessas.

 

Canais

Nota Fiscal Eletrônica - Resumo

Acesso Restrito